Você está aqui: Home > Alimentação > Adoçantes, usar ou não?

Adoçantes, usar ou não?

adoçantesCom a vida sedentária e o aumento do consumo de calorias, as pessoas adotaram o uso irrestrito do adoçante como justificativa de tentar reduzir as calorias do dia! Os adoçantes foram criados com a intenção de substituir o açúcar, para que os diabéticos pudessem ter uma alimentação “normal”. Mas muitas pessoas os usam até mesmo sem conhecer o que é e sem saber se fazem mal ou não a longo prazo.

Quem não usa, diz que é horrível e quem usa, muitas vezes nem sabe a composição ou o que realmente é um adoçante. Como já vimos o que são os Adoçantes, vamos detalhar um pouco o que dizem por aí sobre eles e seus efeitos.

Saiba que, os estudos em humanos ainda não são conclusivos, e que algumas pesquisas em animais relatam possíveis danos à saúde.

O alerta aqui vale também para as pessoas que normalmente, ao longo dos anos, vão aumentando a quantidade de gotinhas ou sachês que consumiam no início. Além desse aumento, muitas vezes despercebido, há o consumo de produtos industrializados, os quais têm adição de edulcorantes, mesmo não sendo classificados como Light. Percebe-se então, o consumo de grandes quantidades.

Mas qual é o problema disso? Alguns adoçantes, como ciclamato ou sacarina, possuem níveis elevados de sódio, o inimigo da hipertensão arterial. Sobre os adoçantes aspartame, acessulfame e o ciclamato, existem estudos inconclusivos feitos com animais, que dizem que seu consumo excessivo pode levar ao câncer.

Já a frutose, em estudo feito com animais, a ingestão de frutose foi considerada um fator de risco para doença renal. E já muito hou-se falar da relação dos adoçantes com o alzheimer e com a doença de parkinson, duas patologias que têm se apresentando mais frequentes nos últimos tempos.

E uma polêmica hoje muito questionada: se eles nos saciam como se fossem açúcar?  Os adoçantes, enganam nosso cérebro e não satisfazem a real necessidade de nosso corpo. E o pico do “desejo de doce”, no final do dia, chega e aí não adianta cair nas tentações! Nesse caso, é melhor você controlar a quantidade de carboidrato que você consome no dia, do que abusar dos adoçantes e na hora H, abusar também do açúcar!

açúcarLembre que o açúcar está diretamente relacionado ao aumento da incidência de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, a hipertensão e a obesidade.

Não saia por aí desgostoso com adoçantes e o açúcar. Você tem que ter equilíbrio, consumir na medida certa!

Uma coisa que digo para meu pai: antes de colocar adoçante ou açúcar, experimente o alimento para sentir o sabor original. E começa adicionando aos poucos e pouco. E se você quer reduzir a quantidade que consome, experimenta sem adoçar, e depois adiciona duas ou três gotas de adoçante ou colheres de açúcar.

Mas não esqueça que os alimentos industrializados também contém os edulcorantes! Na alimentação infantil, seria importantíssimo evitar alimentos industrializados e industrializados com edulcorantes!

Referências bibliográficas:

Barreiros RC, Bossolan G, Trindade CEP. Frutose em humanos: efeitos metabólicos, utilização clínica e erros inatos associados.

IDEC, Consumidor S.A. Adoçantes. Edição número 31 de 1998.

OLIVEIRA, P.B.; FRANCO, L.J. Consumo de adoçantes e produtos dietéticos por indivíduos com diabetes melito tipo 2, atendidos pelo Sistema Único de Saúde em Ribeirão Preto, SP. Arq Bras Endocrinol Metabol; 54(5): 455-462, 2010.

Responda

Seu email não será publicado

*